Diretor Presidente: Maksuês Leite Cuiabá, 17 de abril de 2014   
     
    Página Inicial
    Últimas Notícias
    Política
    Economia
    Polícia
    Cidades
    Esportes
    Cultura
    Variedades
    Nacional
    Internacional
    Registro Geral
    Artigo do Dia
    Enquetes
    Carta do Leitor
    Empresarial
    Presença Confirmada
    Quem Somos
    Fale Conosco
 
Polícia

Pais que deixaram criança morrer asfixiada num carro em Cuiabá depõe por 5 horas
19/12/2013 - 19h50   

G1

O pai do menino de dois anos que morreu no último dia 13 após ser deixado dentro do carro por quase cinco horas, em Cuiabá, disse em depoimento à Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (19) que nunca havia esquecido o filho no veículo e que não entende como isso ocorreu. A mulher dele, que é professora, também foi ouvida. A causa da morte foi asfixia por confinamento.

O depoimento do casal durou mais de três horas, segundo a delegada Anaíde Barros, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e foi interrompido diversas vezes. “Os dois estão muito tristes e abalados. Choraram várias vezes enquanto respondiam as perguntas”, contou. O pai da criança já havia sido ouvido no dia do ocorrido, mas de maneira informal, devido ao estado emocional dele.

Conforme a delegada, o pai relatou que tinha o hábito de deixar o carro no estacionamento do banco onde trabalha, na Avenida Filinto Müller, e levar o filho a pé para a escola, que fica a poucos metros dali. Segundo o bancário, o menino costumava dormir no veículo no trajeto entre a residência da família e a escola e, no dia da morte, não foi diferente.

“Ele confirmou o que já tinha dito. Disse que, no final do dia, saiu do trabalho, pegou o carro e, como de costume, se dirigiu à escola do menino. E ao chegar ele se tocou de que não tinha ido lá naquele dia. Quando olhou para trás, viu o filho”, contou Anaíde. O menino ainda foi socorrido tanto pelo pai quanto por um médico que passava pelo local, mas não resistiu.

A mãe da criança disse à polícia que o bancário, com quem é casada há mais de 15 anos, sempre foi um pai muito amoroso, zeloso e participativo, que sempre teve a responsabilidade de levar os dois filhos à escola. O mais velho tem 11 anos. Anaíde disse que, por ora, não há evidências de que houve intenção de matar e que, por isso, o fato ainda é tratado como homicídio culposo. O caso será encaminhado à Delegacia de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), que dará continuidade às investigações.

 

 Enviar por email  Imprimir    Comentar
 


 
Últimas Notícias de Polícia :: 
Polícia
08h03 : Mulher morre carbonizada após bater moto em carreta
Polícia
07h58 : PRF reforça segurança nas rodovias durante feriadão da Páscoa
Polícia
17h14 : Quadrilha é presa após furtos em várias residências na grande Cuiabá
Polícia
09h53 : Dupla se passa por polícia e mata rapaz no interior
Polícia
09h12 : Usuário de drogas é morto com um tiro na cabeça em Cuiabá
Mais Notícias de Polícia::
  Publicidade
Microlins
Programa Sávio Pereira
© O Documento - Uma Impressão Digital. 2001 - 2014
É proibida a reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorizaçao por escrito dos responsáveis.
Fone: (65) 3644.4160