Diretor Presidente: Maksuês Leite Cuiabá, 18 de abril de 2014   
     
    Página Inicial
    Últimas Notícias
    Política
    Economia
    Polícia
    Cidades
    Esportes
    Cultura
    Variedades
    Nacional
    Internacional
    Registro Geral
    Artigo do Dia
    Enquetes
    Carta do Leitor
    Empresarial
    Presença Confirmada
    Quem Somos
    Fale Conosco
 
Cidades

Caminhoneiros estão parados há 3 dias em atoleiros de rodovia em Mato Grosso
15/12/2013 - 20h54   

G1

Há três dias, nenhum veículo consegue trafegar pela MT-020, entre Paranatinga e Gaúcha do Norte, a 411 e 595 km de Cuiabá, por conta de atoleiros na rodovia. Uma fila de veículos, principalmente de carretas e caminhões, se formou nesse trecho. Parados, os motoristas esperam por socorro, porém, a prefeitura de Paranatinga alega que têm tentando ajudar os caminhoneiros, mas que não possui máquinas suficientes para retirá-los.

A reportagem tentou entrar em contato com a Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu) neste domingo (15), mas o secretário da pasta, Cinésio Nunes, não atendeu as ligações.

O prefeito da cidade, Vilson Pires, disse que, recentemente, uma empresa deu início ao processo de pavimentação da rodovia, porém, mal começou e já abandonou a obra depois da terraplanagem. O maior problema, segundo ele, é que a situação piorou, pois o primeiro e único trabalho da empreiteira foi retirar uma camada superficial de terra com cascalho. Sem esse cascalho e por causa da chuva intensa, surgiram os atoleiros.

"No sábado (14) fui até lá para prestar socorro, mas tinha cerca de 60 carretas e caminhões parados na estrada não tem como o município dar assistência a todos os motoristas", afirmou o prefeito. "Está totalmente intransitável e a via está interditada, o que gera prejuízos imensuráveis aos produtores e pecuaristas da região", pontuou. Ele disse que o município é um dos maiores produtores de soja do estado.

O município cultiva soja em 400 mil hectares e possui frigoríficos para abate de bovinos. "Temos frigoríficos e o gado está morrendo nas estradas, porque os caminhões não conseguem passar. Se tornou uma catástrofe", reclamou Pires. Já Gaúcha do Norte está escoando milho, o que tem contribuído para o fluxo de veículos nesse período. Ele criticou o fato de a obra ter iniciado já no período chuvoso. Com os atoleiros, o acesso aos municípios de Canarana, Água Boa, além de Paranatinga e Gaúcha do Norte, está impossibilitado. Nenhum trecho dessa rodovia possui asfalto.

Combustível de graça No mês passado, o governador Silval Barbosa anunciou a distribuição de cerca de 5 milhões de litros de óleo diesel para as prefeituras do interior do estado durante o período de chuvas. Porém, no caso de Paranatinga, o prefeito alegou que até agora o município tem custeado toda a despesa sozinho.

Contudo, apesar da medida, Silval avaliou que, nem por isso, o estado deixaria de ter atoleiros, como todos os anos. "Um estado em que a fronteira agrícola dobrou em quatro anos, em que a fronteira agrícola avança conforme surge a logística, é um estado que muitas vezes a gente não dá conta de socorrer certas demandas", pontuou, na época.

 

 Enviar por email  Imprimir    Comentar
 


Comentários dos Leitores :: 
Julio Muzzi (julio.muzzi@hotmail.com) - 16/12/2013 01h36

Nesta época mexer com conserva/restauração/construção de estradas, é perda de tempo, e jogar dinheiro fora. O período correto vai de abril a novembro, se não fez nesse período, a chuva não deixa trabalhar.
 
Últimas Notícias de Cidades :: 
Cidades
11h12 : Campanha de vacinação contra a gripe começa dia 23 de abril em Cuiabá
Cidades
08h12 : Movimento de passageiros na rodoviária cresce 15%
Cidades
16h25 : Pedro Henry passará aniversário e Páscoa preso; não cumpriu 1/6 da pena
Cidades
15h10 : Somente serviços essenciais funcionam; veja o que abre e o que fecha
Cidades
12h58 : Silval entrega medalhas para policiais civis
Mais Notícias de Cidades::
  Publicidade
Microlins
Programa Sávio Pereira
© O Documento - Uma Impressão Digital. 2001 - 2014
É proibida a reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorizaçao por escrito dos responsáveis.
Fone: (65) 3644.4160