Diretor Presidente: Maksuês Leite Cuiabá, 23 de abril de 2014   
     
    Página Inicial
    Últimas Notícias
    Política
    Economia
    Polícia
    Cidades
    Esportes
    Cultura
    Variedades
    Nacional
    Internacional
    Registro Geral
    Artigo do Dia
    Enquetes
    Carta do Leitor
    Empresarial
    Presença Confirmada
    Quem Somos
    Fale Conosco
 
Cidades

PF de Mato Grosso ameaça greve na Copa e na eleição
05/12/2013 - 06h27   

Da Redação

A Polícia Federal ameaça fazer greve durante a Copa do Mundo e as eleições de 2014. Os profissionais reclamam de falta de efetivo e falta de condições de trabalho. A sede da superintendência da PF, em Cuiabá, funciona parcialmente há quatro meses por problemas estruturais no prédio.

Nesta quarta-feira (4), os policiais federais do Estado aderiram à paralisação nacional de 24 horas. Apenas 30% do efetivo foi mantido nas quatro delegacias regionais e na superintendência. Esta é a terceira vez que os profissionais de Mato Grosso protestam este ano. Eles haviam feito manifestos parecidos nos meses de agosto outubro.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Mato Grosso (Sinpef), Erlon José de Souza, se não houver melhorias a categoria irá cruzar os braços durantes os dois maiores eventos do país em 2014. “O governo tem gastado bilhões com as obras, mas não consegue meio milhão para reformar um prédio que está pondo em risco a vida dos agentes?”

Conforme o presidente, há quase meio ano, os profissionais denunciaram que o prédio, onde funciona a superintendência da PF, na avenida do Historiador Rubens de Mendonça (CPA), em Cuiabá, está com pane na parte elétrica. A situação é tão grave que eles precisaram dividir os turnos para não sobrecarregar a estrutura e diminuir o risco de incêndio. “Dividimos o nosso efetivo, que não é grande, para minimizar os problemas, mas mesmo assim a situação é delicada. Apenas um dos elevadores pode ficar ligado, as salas precisam fazer rodízio para usar o ar condicionado porque se não cai o padrão ou corremos um risco de um curto-circuito e até incêndio, porque a fiação não suporta a carga elétrica”.

Outra antiga reclamação da categoria é o pequeno número de profissionais em virtude da larga extensão territorial do estado. A PF do Estado conta com aproximadamente 300 servidores, porém ele calcula que seriam necessários ao menos 800. “Ano que vem teremos um dos maiores eventos esportivos no Estado, sem o efetivo ser a metade do que realmente precisamos.”

Erlon ainda criticou o edital do último e o tempo hábil para convocar e capacitar os novos concursados. “O número de concursados não atende as nossas necessidades, além disso não dará tempo para o mundial”.

PERITOS CRIMINAIS - Os peritos criminais de Mato Grosso também paralisaram as atividades ontem. Eles protestaram contra as más condições de trabalho. A mobilização havia sido decidida na assembleia da categoria realizada no último dia 29. Conforme o Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais de Mato Grosso (Sindpeco-MT), foram mantidos apenas os atendimentos a acidentes e crimes contra a vida.

O Estado conta com 140 peritos, contudo, segundo o Sindpeco, o número de profissionais é insuficiente para atender toda a demanda. Para os servidores, seriam necessários pelo menos 600 peritos.

 

 Enviar por email  Imprimir    Comentar
 


 
Últimas Notícias de Cidades :: 
Cidades
19h15 : Pela segunda vez, juíza suspende cobrança no trecho Poxoréu/Rondonópolis
Cidades
17h38 : Unidades de Saúde realizam atividades no Dia de Prevenção e Combate a Hipertensão
Cidades
16h35 : Rodovia é liberada por manifestantes; bloqueio durou oito horas
Cidades
15h52 : Cerca de 650 policiais militares são promovidos em MT
Cidades
14h45 : Mais de 170 novos peritos tomam posse e fortalecem a segurança Estadual
Mais Notícias de Cidades::
  Publicidade
Microlins
Programa Sávio Pereira
© O Documento - Uma Impressão Digital. 2001 - 2014
É proibida a reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorizaçao por escrito dos responsáveis.
Fone: (65) 3644.4160